Segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

E assim me vou!


Na Vida, tudo tem um fim, tal como as ficções novelescas a que a televisão nos habituou, quer ele seja bom, quer seja menos bom!
Contudo, os valores de bom e de mau são muito relativos, pois não apenas variam de pessoa para pessoa, como também ao longo do tempo, pelo que alguém pode interpretar o mesmo episódio de maneira diversa, passados uns anos.

Assim, considero ter chegado a um fim, apenas um deles, porque nunca sabemos onde acaba o término de uma vida e começa outra! Espero apenas ter valido a pena para vós vir "aqui" ler-me, conversar comigo, brincar e rir, pois é o que levamos da vida: a alegria de contactar com outros!
Não é por acaso que se descobriu, recentemente, da avidez demonstrada pelos neurónios em comunicar uns com outros, sendo que a ausência prolongada de comunicação os leva a morrer! Estaríamos assim geneticamente programados para comunicar, o que não é nada mau, desde que a troca de opiniões seja uma mais valia e nos engrandeça ainda mais, caso contrário, a comunicação não será valorizada e descarta-la-emos!

Tanta prosa, para algo tão simples, mas a mim apetece-me escrever, sobretudo agora, no momento em que venho cortar a comunicação! Quero ser lido... é... deve ser isso! Numa tentativa última dos meus neurónios comunicarem!

Adeus, gostei muito das conversas, dos temas... mas tudo tem um fim.
Assim, a partir da próxima segunda-feira, 23/08/2010 (lol, caso não consigam fazer as contas!) não devo comunicar mais, pelo que não vos poderei responder, caso insistam em blogar, postar, "msnar" (lol). É que há muito para fazer e o tempo é escasso!

Ainda ficarei uma semana mais, por precisão (lol!), mas não sei se acederei à net, pelo que escolhi este dia para a despedida!

Adeus a todas vós... e... pratiquem... lol... muito!

Beijos deste vosso eterno

O Amante

P.S.: agradecimentos especiais à: Cigana, Erotica, Infiel e a todas as outras com quem falei num blog e à: EstouAqui29, Kcleo3, An@ e a todas as outras com quem falei noutro blog (lol).

publicado por oamante às 12:10

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Junho de 2007

Adoro mulheres em fúria!

Na última quinta-feira tive um encontro de terceiro grau! Lol
Passo a explicar: uma colega entrou-me pelo gabinete dentro, toda abanada, em fúria e explica-me que tinha sido desautorizada. Entre os meus gestos para acalmá-la, dei por mim a desejar saltar-lhe em cima! Mas porquê?
Simples: ela é elegante, alta, bonita, embora não uma brasa total. Ela é uma brasa nas relações, permitindo brincadeiras mais ousadas, conversas mais picantes e até conversas sérias sobre sexo. É uma mulher no pleno sentido das palavras, para mim, embora haja, da parte de alguns homens o defeito de rotulá-la de prostituta... logo. Uma vez, numa conversa sobre os pés dela (bonitos!) e massagens, ela sentou-se e colocou-mos sobre a perna. É claro que a servi e devo ter-lhe dado cá uma massagem, porque no final ela agradeceu-me com uma massagem erótica... nos dedos das mãos! Acreditem, é algo incrível. Tenho de lhe pedir para me ensinar... para vos dar a receita!

Bem, dizia eu que dei por mim a olhar para ela com o desejo louco de... comê-la! Ela tem uns decotes generosos, deixa-nos tocar, toca-nos muito, brinca com conversas ambíguas... Considero-a uma mulher-gata!

Mais tarde, pensando no assunto, dei por mim a tentar perceber o que me instigou tal tesão e parece-me que tal se deveu à fúria dela, aos cabelos meio desgrenhados...
Vai daí, generalizando para outras pessoas, percebi que os homens adoram uma mulher em fúria, não tanto porque gostam de domá-la, não é por aí, mas mais pelo facto de os homens adorarem ter uma mulher à altura na cama. Quero dizer com isto, que os homens não gostam de uma mulher passiva na cama e muito menos daquelas que se fazem santinhas, ou que o são na verdade.
Os homens gostam de uma mulher que adore sexo e que saiba fazê-lo!
Por isso, mulheres, amantes... sejam loucas na cama, gemam, agarrem, gritem, desgrenhem-se todas... porque só isso já nos dá um tesão de morrer!
 
 
tags: ,
publicado por oamante às 15:05

link do post | comentar | ver comentários (96) | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Maio de 2007

A Paixão

Ao ler um artigo de Lidia Aratangy, psicóloga, na última "Sábado", concordei plenamente com ele.
Segundo esta psicóloga, a paixão funciona como um vaivém, isto é, no início é um sentimento muito forte, mas gradualmente, vai esmorecendo.
Para esta psicóloga, temos é de recriar a paixão, temos de vê-la em várias facetas: na ternura, na amizade, na parceria...
Assim, essas várias facetas vão-se alternando ao longo da vida. Temos é de acreditar e tentar recriar momentos de paixão. Não é necessário que se viva uma vida inteira de paixão, algo quase impossível, mas podemos recriá-la de quando em quando no nosso percurso, enquanto casal.

Pior para uma vida a dois, parece ser a indiferença, já que para esta psicóloga o amor e o ódio são sentimentos muito próximos. Agora, quando um dos elementos do casal estabelece uma relação de indiferença com o parceiro, está a criar um fosso que dificilmente será transposto, adivinhando-se mesmo a separação.

Assim, há que ter esperança na felicidade, mas não desejar ter uma vida totalmente feliz, pois tal é impossível. Temos é de aproveitar os momentos de felicidade e valorizá-los mais que os sentimentos contrários e procurar ser tolerante e bem-humorado, pois estas duas capacidades parecem conseguir fazer-nos ultrapassar aqueles momentos mais difíceis.

No meio de tantas opiniões contra a efemeridade da paixão, temos aqui uma opinião contrária... uma pérola num mar de sargaços?!
 
 
tags:
publicado por oamante às 09:47

link do post | comentar | ver comentários (37) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Taradices?

Pelo que tenho lido, quer as mulheres, quer os homens, desenvolvem fantasias, mas há umas  tão recorrentes que se tornam realidade.

Assim, vemos nos homens a ânsia pelo sexo anal, como um dos expoentes máximos do desejo masculino.
As mulheres contrapõem logo, acusando a animalidade, o dolo pressuposto causado ao sacrossanto sítio que preferem ser "expelitório" a "introdutório". Depois, fora a anormalidade, há a sanidade e a beleza desfeita de um acto que se quer belo, mas a que algumas manchas no pénis dele tiram o desejo num instante. É a higiene falando mais alto que o desejo!

As mulheres, infinitamente belas na sua higienização clamam logo contra esta prática desumana. Pelos vistos, a higiene nelas fala mais alto que a carne. Será?

As mulheres, pelo ciclo lunar que lhes foi imposto, enchem-se de desejos na altura do mês menos imprópria. Não é que elas anseiam pelo sexo justamente na altura em que o sangue lhes desce pelas ancas? Sim, elas sentem aquele frémito indómito por dentro delas... tentam sufocar os desejos mal vistos, parar aquele rubor na face, esconder aquele tesão que lhes enche a alma, evitando uivar em noite de lua cheia!
Mas afinal, que querem elas? Nada de mais. O corpo, durante o período, parece lançar mais hormonas sexuais que no resto do mês!
Elas sentem um desejo louco, qual os homens sentem, mas o facto de haver sangue, leva a que se refreiem, mais por vergonha do que podem ouvir, que outra coisa.
No entanto, lemos em blogs, que esta é a fantasia que elas mais querem ver realizada: sexo durante o período.
Aqui, não pensam elas já na higiene! Aqui, entram os homens, bradando em altas vozes contra aquela torrente que lhes corta o desejo!

Vamos então por partes: ambos adoram a sua fantasia (anal/"sexo periodal", se lhe podemos assim chamar), mas ao parceiro incomoda a visão das manchas expelidas: fezes/sangue.

Eu, por mim, acho que a limpeza resolve os desejos de ambos os sexos: Para o sexo anal, existem umas bombas que se compram nas sex-shop (pode ser por email) e que introduzem água no recto e depois deitam fora, limpando algum vestígio de fezes. Fazem-no umas três vezes, acho. O sexo a seguir será limpinho!
Para o sexo periodal, penso que uma limpeza antes, resolve o problema, também.
Agora, penso que se surgir uma ou outra mancha de fezes ou de sangue, o casal tem de saber lidar com isso. E quero dizer, lidar de bom-humor.
Uma ideia: a mangueira do chuveiro tem um tubo metálico a recobri-la. Com o tempo, ela rebenta. Desmanchem a mangueira e deitem fora o tubo metálico. Podem introduzir a rosca na canalização e introduzir a extremidade da mangueira no ânus para melhor limpeza, convindo talvez lubrificá-la. Depois voltam a colocar a nova mangueira e guardam essa para a próxima.

Eu sei que o tema pode parecer meio porco, mas acho que no sexo tem de haver uma moeda de troca: se os homens adoram sexo anal e as mulheres sexo periodal, fazem uma troca. Ou ambos saem satisfeitos ou não há nada para ninguém.

Eu sei que a minha mulher fica louca durante o período e até já fizemos nessa altura. Eu não gostei lá muito, mas depois de ler em blogs que as mulheres deliram com isso... comecei a pensar no assunto.

Agora, é como eu digo: só há sexo periodal se houver anal, não porque acho que deva haver comércio no sexo, é apenas por pensar que deve haver democracia!
 
 
tags: ,
publicado por oamante às 19:27

link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
|
Terça-feira, 22 de Maio de 2007

O Paraíso

Sob o céu um árvore
Sob a árvore um pedaço de relva...
Sobre a relva estendido, teu corpo desnudo...
Sobre o teu ouvido deitado, sussurro prazeres e deleites mil...
dedilhando em tuas costas mil acordes
que os teus lábios em surdina reproduzem...
Sobre nós... um céu azulado de anis...
 
 
tags:
publicado por oamante às 07:44

link do post | comentar | ver comentários (25) | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Maio de 2007

Culpado

Eu admito: sou culpado!
Eu adoro mulheres, gosto da vossa pele, da textura dela e daquele macio que sós vocês têm. Gosto de vos mordiscar, de acariciar, de cobrir de beijos assim... lentos... leves... em fogo!
Adoro passar-vos os dedos e ver-vos arqueadas de sensações loucas. Enlouqueço sempre que vos ouço pedir mais... pedir para parar... sussurrar, ou gemer... de prazer! Enlouqueço mesmo.
Isso provoca em mim uma sensação de euforia, de prazer ilimitado, porque me torna poderoso: sim... eu sei levar-vos ao sétimo céu e mais além ainda! Torno-me Senhor do Céu, como na canção do Pedro Abrunhosa e isso... excita-me!
Quando nasci, lá no Céu, Deus deve ter olhado maliciosamente para os Anjos e dito: «Ah! Este vou marcá-lo para servir as mulheres!»
E tem sido assim desde então.
Devia ter tido uma testosterona mais normal, virada apenas para o prazer... mas o meu, só!
Serei um homem com uma testosterona deficiente?
 
 
publicado por oamante às 15:21

link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Maio de 2007

Como isto não cabia nos comentários, vai este post-resposta

Decidi responder aos comentários do post anterior ao molhe: todos num só, mas como não cabia nos comentários, vai num post.

Vocês acham que eu não sinto a imoralidade de pensar assim?

Muito bem, agora vamos aos factos, aquilo que realmente importa.

1) Estou farto de ouvir, falar e ler em blogs que hoje em dia os homens têm de ter cuidado, porque as mulheres são independentes e se os maridos não as satisfizerem elas sabem ir procurar fora de casa a tal satisfação. Alguém me diz que esta situação é mentira?

2) Estou casado a 16 anos. Quando porventura discutimos, não elevo a voz, mas procuro utilizar a argumentação, do que me vem um recado de ser demasiado frio (talvez devesse mesmo gritar e bater). Sempre utilizei o diálogo para resolver os problemas e detesto quando uma pessoa eleva o tom de voz, como tentativa de ganhar a discussão.
Sempre tratei bem a minha mulher, dou-lhe carinho, beijamo-nos muito, principalmente ao chegarmos perto um do outro, a casa, etc e nas despedidas.
Penso ser um bom pai, pelos elogios que recebo dos meus filhos, da mulher, da família e de todas as pessoas com quem eles confraternizam. Até em lojas, cafés e restaurantes. Posso não ser o pai perfeito, acho até que tive muitas falhas, mas penso que eles estão minimamente prontos para serem lançados à sociedade!
Sou eu que lhes faço o pequeno almoço e ainda ajudo o mais pequeno a comer: o sono é terrível. Brinco com eles, embora o devesse fazer mais.
Em casa, ajudo no que for possível: problemas de bricolage doméstica, resolvo-os eu: electricidade e mais qualquer coisa. Até coloquei aquelas placas de veludo nos pés de cadeiras e mesas, para não riscarem o soalho.
Apesar da minha mulher tratar da maioria das refeições, faço sempre semanalmente alguns almoços e jantares. Ajudo nalgumas lides domésticas.
Nunca liguei ao passado da minha mulher (acho burro quem o faz): ela já tinha tido namorado. Para ela era algo muito mau!
Cuidei da minha filha bebé grande parte do tempo: mudar fraldas, biberão, depois as sopas. Tudo.
Enquanto a mulher faz o jantar, eu dou banho ao miúdo. Sou eu que o visto e ponho a dormir.
Trato do lixo, dos bancos, das contas todas.

Acompanho a minha cara-metade nas compras dela: passeios intermináveis pelas lojas, ver tanta coisa e não comprar nada! Escuto-a falar o dia todo do trabalho: dos problemas pormenorizados que teve nesse dia, à planificação do dia seguinte. Já lhe pedi (já discutimos e tudo) que ela não trouxesse o trabalho para casa, pois eu não levo. Mas ela afirma não ter ninguém a quem contar e que tem de contar com o marido para isso. Eu só pedia que não fosse todo o dia, todos os dias. Mas já não peço isso. Ouço-a sempre, embora às vezes note que nalgumas situações não ouço a conversa toda.
Na cama? Bem, sei que não acreditam no que conto, problema vosso. Ela é bem satisfeita. Pelo que leio e ouço, ela tem o que algumas mulheres nem sonham.

Bem, se todas vocês têm um homem em casa que vos trate assim... estão de parabéns!

Agora, eu pergunto: depois de tudo isto, o que seria de esperar em troca?
Amor, ela dá-me aos montes, pois ELA AMA-ME mesmo! Agradeço por isso.
Mas eu queria mais: queria ser satisfeito na cama, também. Se recebesse isso, bastava-me.

Mas não recebo. Talvez eu seja demasiado exigente, mas depois de aprender tanta coisa, de dar tanto de mim em massagens, preliminares, e o resto, eu esperava receber um pouco.
Para mim, sexo não se limita à ejaculação! Acho que isso não é o meu objectivo, é um meio. De quê? O sexo é para mim um meio de atingir o prazer e esse prazer advem-me da capacidade de sentir por todas as formas possíveis, de experimentar o prazer através de cada nervo do meu corpo. Se aprecio o clímax, e muito, aprecio ainda mais aqueles momentos anteriores a ele através do maior número de sinestesias possíveis. Se tocarmos em todos os sensores do nosso corpo, a sensação de prazer é enorme. Experimentem, enquanto penetram uma mulher, tocar-lhe no maior número possível de regiões erógenas!

Bem... e eu já lhe transmiti isso? Sim, já.
Nestes 16 anos, já tivemos 3 discussões sobre isso, onde se discutiu, brigou e onde eu disse claramente que ela não me satisfazia sexualmente e até dei algumas dicas. Nas primeiras semanas ela até conseguiu, mas depois deixa-se levar pela passividade. Eu nem a culpo, pois cada vez mais, assumo que o sexo não é para todos e se se lembram já experimentei fora uma vez e não foi diferente. A culpa pode ser minha, mas o facto é que não acho que as mulheres me possam satisfazer (calma, gays, eu gosto mesmo é das mulheres; é uma opção pessoal, não é por nojo, nem nada: ou tenho sexo com mulheres, ou não o tenho mesmo). Penso que só mesmo alguma prostituta de alto nível, tipo gueisha, me possa satisfazer. É só dar 40 contos por 30 minutos e resolvo o meu problema.

Em face disto, as opções são fáceis de tomar:
1- Acabo o casamento. Aí, eu e vocês todos temos de assumir que o casamento se resume a sexo. Na verdade, eu gosto dela. Não acho que seja só sexo.
2- Continuo casado, mas recuso-me a ter sexo. É comum por aí e como eu já tirei um curso de gurus por 2 meses... Na verdade, acreditem que se pensarmos num mundo sem a ideia de sexo, sentimo-nos felizes e o trabalho e a família passam a ganhar. ficamos com toda aquela testosterona ao serviço dos outros, em vez de ser ao nosso serviço. É uma sensação... diferente! Agora, a mulher é que não se mostrou satisfeita e após diálogo, onde eu até lhe propus que ela podia recorrer a outros ao nível sexual e ela recusou, assumi que ela não tinha culpa nenhuma. A partir daí, continuo a dar-lhe sexo três a quatro vezes por semana, como ela gosta. Pois, diminui os dias, pois acho que assim já dá.
3- Arranjo maneira de me satisfazer fora do casamento. Fico feliz e até devo melhorar o sexo no casamento.

Por ora, sou apenas um amante virtual e não dei o passo seguinte. Mas estou para aí virado. Apesar de ter muitas dúvidas... do que receberei...

É uma visão feia do casamento? Talvez. Mas acho interessante que quem me critica mais são os não casados.
Assistimos hoje uma situação estranha: pessoas solteiras por muito mais tempo, até aos trinta e tais e mesmo quarenta. Alguns estudos debruçam-se já sobre o tema.
Acho que o espírito de cedência e de sacrifício desapareceram e as pessoas querem encontrar alguém que não lhes peça cedências. É puro engano, pois para viver em sociedade é sempre preciso ceder nalguma coisa. O egoísmo vive sozinho!

Eu penso ter cedido já bastante no meu papel de homem que se quer macho neste nosso país e em troca queria apenas sentir alguma coisa diferente.
Espero talvez demasiado de uma coisa simples... não sei.

Estou errado? Claro que estou... mas por enquanto penso assim. Posso sempre desistir de ter sexo. É muito mais simples.

Ah! Esqueci-me: é claro que também tenho muitos defeitos. Não sou nenhum poço de virtudes.
publicado por oamante às 11:30

link do post | comentar | ver comentários (99) | favorito
|
Terça-feira, 15 de Maio de 2007

Amante de Casadas

Um post da Condescendência alertou-me para um facto: mesmo no mundo virtual assumimos diversas facetas, pois nem sempre conseguimos mostrar a nossa mentalidade em todos os blogs simultaneamente.
Assim, já disse por aí, mas penso que nunca no meu próprio blog: eu sou casado e talvez seja muito porco, pelo menos perante as regras morais vigentes, pois prefiro as mulheres casadas e bem casadas.
Porquê? Bem, talvez o post da Xena vos explique melhor: não há problema de recebermos telefonemas a meio da noite, ou outros.
O que é muito mau: se fosse decente e franco, acabava tudo e ficava livre. Pois... fraqueza minha assumida.

Mas o que pretendo dizer é que não gosto de raparigas solteiras por uma razão: conheço muitos casos, alguns bem chegados, de mulheres que andam com homens casados. Eles adiam sempre o fim do casamento e vão enrolando as amantes, que ficam à espera que a mulher dele o deixe sair etc. e tal.
Pelo que sei, os casos arrastam-se por anos e ela sempre à espera dele, enquanto ele se limita a usufruir de ambas. Ao fim de uns anos ela já tem uma certa idade e percebe que nunca o vai ter só para ela, mas vê-se perante uma situação: perdeu os anos viçosos e agora pensa não ser já "boa" para encontrar um homem (isto é um engano que as prende muito, acreditem).
Então ela assume que naquela idade, só pode agora servir mesmo de amante.
É uma situação chata, a que poucas parecem conseguir escapar.

Por isso eu aviso sempre: prefiro mulheres casadas que também gostem de um pouco de aventura, para sair de alguma monotonia e que talvez já tentaram quebrá-la, mas sem sucesso.
Não gostava de fazer a figura exposta acima: roubar a vida de uma pessoa.
Além disso, as pessoas casadas já sabem o querem e o mais importante: sabem o que não querem.
Entretanto, sou apenas um amante virtual, pelo menos da que prefere ser amante a esposa.
 
 
publicado por oamante às 09:32

link do post | comentar | ver comentários (41) | favorito
|
Quinta-feira, 10 de Maio de 2007

Masturbação e Fellatio

Hoje o tema é a masturbação masculina! Porquê? Porque o sexo oposto não sabe do que se trata... e eu sei que o 'vice-versa" também é verdade, mas não para mim. E como não aparecem meninas a indicar como as mulheres devem portar-se na cama... eu ensino-vos! Lol.

Para nós homens, a masturbação é saborosa até mais não! Aquilo dá-nos um tesão do "filho da puta" (deve ser verdade, porque eu nunca disse malcriações como estas no blog até agora... Lol).
Mas quando feita por uma mulher... nem sempre dá o mesmo efeito.
Assim, mulheres, aprendam:
- aquilo não é para agarrar e abanar...
- não é para chupar como as mangas...
- não podem puxar com força, nem morder...
- puxar os testículos dói mesmo...
- não usem como flauta: soprar lá para dentro pode provocar lesões irreversíveis! (o ar não tem por onde sair!).

Pronto, já está o mais importante.
Agora, o que nos dá prazer, não é tanto o facto de vocês nos baterem uma. É o facto de vocês nos estarem a fazê-lo e nós a ver. Lembrem-se sempre disto: o Homem, a nível sexual, é dominado pela visão, por isso é que os filmes porno nos excitam tanto.
Assim, vocês tentem tirar partido desse facto. Como?

Enquanto nos masturbam, ou praticam o fellatio, devem primeiro garantir que nós as vemos a fazê-lo: boa iluminação, vocês olham para a nossa cara de vez em quando, não nos mandam fechar os olhos e tentam (pelo menos) mostrar que estão a gostar, podendo mesmo emitir sons alusivos!
Podem pensar que estou gozando, mas perguntem aos vossos namorados/homens/maridos.

Agora, o tratamento a dar ao membro: podem, no início, utilizar um ritmo mais lento, mas aí pelo meio, há que aumentar a velocidade e mantê-la.
Podem também mordiscar o pénis na parte de baixo, de cima a baixo.
E podem, enquanto masturbam acariciar os testículos: sabem aquela sensação que experimentam quando vos acariciamos os mamilos? Isto deve ser igual.

Se quiserem que ele não se venha, perguntam-lhe ou verificam quando ele está quase a soltar-se e apertam-lhe a glande com os dedos, mais ou menos com força: Corta a vontade toda. Esperam uns três segundos e podem recomeçar. Quando acharem que ele merece deixem o coitadinho vir-se (Se fizerem bem a coisa, ele pode ter orgasmos múltiplos! Sem ejaculação). Ou podem decidir fazer-lhe mais coisas!

Eu sei que vocês sabem todas fazer isto, mas acreditem que há mulheres que não sabem, porque eu já encontrei e já ouvi falar. Não foi para criticar, foi mesmo para ensinar, porque na masturbação masculina há mulheres ainda... virgens!
 
 
publicado por oamante às 14:48

link do post | comentar | ver comentários (39) | favorito
|
Quarta-feira, 9 de Maio de 2007

Fantasias III

Diz o ditado popular: nem tanto à serra, nem tanto ao mar. Mas eu sou como a Condescendência: nada como o mar.
Pois é, fantasiar com o mar levou-nos a experimentar fazê-lo, claro que numa praia de areia: Canárias, Porto Santo. Falta tentar as daqui.
Se na serra, há o problema da atenção para o caso de surgir alguém, fazer no mar dá outra pica, porque as pessoas estão... mesmo ali! Pois é.
Então os cuidados têm de ser outros: nunca elevar os ombros da água: nota-se que estamos a... embalançar! Lol e as pessoas começam a olhar para nós, assim meio desconfiadas, meio descrentes: aqueles parecem... Ah, não deve ser, só estão agarradinhos, mas... Lol
Temos de ir andando para cá e para lá, com a amada ao colo, Lol. Não se pode fazer muito barulho...
Fazer movimentos que não se percebam fora de água e ir fazendo.
Quando saímos... as pessoas têm um sorriso diferente para nós, meio... uau... meio... cruz credo! Lol
É divertido... é aquoso... dá muita adrenalina fazer assim diante de todos!
E não se preocupem: os peixes não têm vergonha!
Estas são fantasias para fora de casa, porque nem só em casa vive o Amante!
 
 P.S.: convém fazê-lo quando os miúdos estão a brincar na praia!
tags: , ,
publicado por oamante às 12:38

link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. E assim me vou!

. Adoro mulheres em fúria!

. A Paixão

. Taradices?

. O Paraíso

. Culpado

. Como isto não cabia nos c...

. Amante de Casadas

. Masturbação e Fellatio

. Fantasias III

.arquivos

. Agosto 2010

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds