Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Apenas eu

Ok, vamos lá a adivinhar quem era o actor do penúltimo post, sobre a indiferença masculina. O primeiro era o Matt Damon. A quem correspondia o «Ele» da segunda situação?
Bom... nem mais, nem menos que a mim próprio! Pois, o Amante!
Será verdade? Sim, claro que sim.
Sou casado há 16 anos e tivemos 3 grandes brigas sobre sexo! Eu queria que ela fosse mais... brava... sedenta... activa!
Quando casei, tive a sorte de poder pôr em prática muito do que sabia, pois tinha sexo ali à mão e todos os dias e podia ver as diferenças que cada nova posição fazia na mesma mulher.
Desenvolvi ainda mais a arte, com os anos.
Para vossa informação, (ai, ai ai, A Amante) satisfaço muito a minha mais-que-tudo, daí os ciúmes dela, em perder tal «coisa». E sou um democrata em casa, vivendo em sistema tipo cooperativa. Lol. Todos mandam e todos trabalham.
Acontece que as brigas surgiam porque eu queria sentir as mesmas sensações que via a minha mulher ter. Ok, não era para ter tantos orgasmos, mas queria sentir o corpo todo, a pele... tudo. Como eu lhe dava.
Depois das brigas, ela dava um pouco dela, mas com o tempo perdia-se de novo na passividade.
Aos poucos, fiquei a não querer ter sexo e cheguei à terceira briga em que decidi «puni-la» (ao que se chega!). Ela sentia ciúmes de todos e tinha alguma razão, pois eu arrastava a asa para duas raparigas e nós homens não sabemos mentir. Elas nunca quiseram nada comigo, a esse nível, só diálogo. Uma é o meu Anjo e é bem casada; a outra, não me queria para isso (snif).
Assim, e depois de ver o filme, decidi não ter mais sexo. Fui inventando dores de cabeça (conhecem? Lol), cansaço, trabalho... e assim fui andando. Mas decidi também cortar o desejo, para ver se conseguia viver curado de não pensar mais em mulheres.
Nos primeiros dias, não foi fácil, pois evitava olhar para vocês, minhas lindas! Mas era uma estratégia errada, pois continuava a pensar ainda mais no vosso corpo!
Resolvi então que tinha de haver outra alternativa e passei a tentar matar a líbido. Então, olhava para as mulheres, mas tentanto vê-las só como... companheiras.

Custou muito obter uma distanciação assim tão grande, quando vocês estavam ali tão perto. Mas com o andar das semanas lá fui conseguindo olhar para vós de forma... distante... objectiva. Até ao primeiro mês custou muito, mas lá para meio do segundo até que já estava bem lançado: olhava e nada, como os padres (!).

Convém dizer que desde criança sempre controlei os meus músculos e conseguia colocá-los na posição certa, depois de entorses e coisas assim. Também já tinha conseguido controlar o coração, nada mais que outro músculo!
O pénis custou-me mais, mas consegui aos poucos controlar os músculos que provocam a erecção.
Mas havia algo mais: a ideia de sexo. Na verdade, a líbido não depende do pénis, mas sim da cabeça. Foi aí que eu venci o desejo de sexo e funcionou. Só que, ao negar o sexo, para evitar ser infiel, também deixei de ver a minha mais-que-tudo de forma sexual e entrei por aquela indiferença.
Ela reagiu ao fim de uns dois a três meses, de forma explosiva. E não queria apenas amor, também queria sexo.
Acabei por satisfazê-la, como faço ainda hoje e muito!
Porquê?
Simples: todos temos um dom. Há quem tenha o dom de pintar, de oratória e tantos outros. A minha mais-que-tudo tem o dom de ajudar os outros, o que é muito bom. Eu fui ter este dom estúpido de ver a mulher como um ser sexual a quem gosto de dar prazer!
Quando ambos, no casal, têm o mesmo dom é bom. Imaginem dois pintores: ele oferece-lhe um quadro e ela fica extasiada. Ela retribui-lhe outro quadro e ele entra em transe, ficando ambos extasiados diante daquelas ofertas.
Eu fui ter um dom difícil de encontrar nas mulheres: o dom do sexo bom! Acreditem que experimentei fora do casamento uma vez e... nada. E ela era viúva, nova!
De modo que decidi combater o conceito de sexo, as mentalidades retrógradas e ir até onde for possível, para o que criei este blog e site. permitindo que vocês experimentem sexo como deve ser.
Eu prefiro uma mulher forte, fatal e com todas as características que fazem dela uma mulher altamente sexual. Não me importa que seja apenas para sexo.
As duas que eu tentei até eram assim, mas... pelos vistos... não consegui seduzi-las.
Elas também nunca acreditaram muito nas minhas capacidades, tal como vocês, Lol. Realmente é difícil acreditar que um homem possa ser bom na cama.
Eu sou muito liberal, quanto a sexo e a amor, mas nunca posso ter diálogos assim com a minha mulher. Falamos de algumas coisas e ela até acabou por comprar os livros e leu-os, mas custa-lhe a passar à pratica. Ela é um pouco passiva e reconhece que não me dá o que eu lhe dou. Mas não consegue dar mais, pois não tem esse dom.
Eu, custa-me vê-la desconfiada, sempre que cumprimento uma rapariga na rua, mas não consigo deixar de apreciar uma bela mulher, capaz de me cativar com o olhar e com o corpo.
Assim, há um tempo atrás, tomei uma decisão capaz de me cortar a líbido... ou mais ou menos isso.
Criei um corpo que não satisfaz as mulheres e assim evito que elas me olhem e quando me olham eu penso que elas estão a observar o que tenho de mau: chamo-lhe barriga com chip de memória. Tentei ter mãos de sapo, mas não consegui, nem o resto do corpo. É mesmo só barriga. Ainda não cai pelo cinto, mas...
Vocês quase a viam, quando postei as três fotos no Dia da Mulher. Como não encontrei o que queria na net, criei eu as imagens comigo e não gostei que as primeiras mulheres a me verem tivessem dito tanto mal. E depois, achei estranho ter o meu corpo na net.
E ando assim, só para ver se deixo estes pensamentos loucos, porque o mau devo ser eu!
Pensem que se eu ficasse livre, ia querer tê-las a todas sem escolher uma! Viram como é mau? Ou podia escolher uma, mas mantendo abertura sexual com outras.

Pois...
Ando assim... e como diz a TNT, no Verão, com a vossa pele à vista, eu debato-me ainda mais... enlouqueço!
Este sou eu,apenas humano, e se a minha mais-que-tudo quisesse, eu vivia sem sexo, mas, pelos vistos, não dá!

Porque postei isto tudo? Porque estou escudado no anonimato. E porque quero que vocês mulheres cresçam um pouco. O sexo está na cabeça, procurem-no aí e tentem criar em vocês o desejo. Caso contrário, quando virem o vosso marido/companheiro não lhe apetecer tanto sexo... (de certeza que não farão o que eu faço, acalmem-se).

E estes impulsos sensuais é tudo culpa da minha mão, mas isso fica para o próximo post.
 
 
sinto-me: decepcionado, louco
publicado por oamante às 12:04

link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. Apenas eu

.arquivos

. Agosto 2010

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds